Termômetro ABRAMAT revela otimismo moderado para o setor de materiais de construção em agosto

Termômetro ABRAMAT revela otimismo moderado para o setor de materiais de construção em agosto

A ABRAMAT (Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção) divulga nesta segunda-feira, 04, a nova edição do Termômetro da Indústria de Materiais de Construção, com dados que destacam as perspectivas do setor sobre o desempenho, a utilização de capacidade instalada, e as intenções de investimento para os próximos meses. A pesquisa de opinião realizada com as lideranças do setor indica que as empresas associadas acreditam no bom desempenho em agosto. Para 38% dos associados da ABRAMAT, o mês apresentará resultado positivo e apenas 14% apontam o período como ruim.

Para setembro, a expectativa é que haja aumento no otimismo moderado com 57% das empresas associadas estimando resultado bom e 38% desempenho regular. A pesquisa também apresenta os dados consolidados de julho de 2023, indicando que o mês teve resultado regular no setor. Para 57%, o sétimo mês do ano trouxe resultados regulares, para 19% bom e para 14% ruim.

O Termômetro da ABRAMAT também traz informações sobre o nível de utilização da capacidade instalada da indústria de materiais. Em agosto, a utilização da capacidade industrial foi de 69% na média das empresas associadas, apresentando aumento de 1 ponto percentual em relação ao mês anterior (julho) e 5 pontos percentuais a menos do que em agosto de 2022.

As pretensões de investimento em agosto de 2023 apresentam crescimento com elevação de 6 pontos percentuais em relação ao mês anterior, refletindo otimismo em relação a retomada dos investimentos projetados para este ano, com 62% das indústrias de materiais indicando que devem investir nos próximos 12 meses, seja para o aumento da capacidade produtiva, seja na modernização dos meios de produção. Em agosto do ano passado este indicador era de 74%.

Para Rodrigo Navarro, presidente da ABRAMAT, o crescimento do otimismo no setor pode ser atribuído a múltiplos fatores. “São aspectos como a reforma tributária, aprovada na Câmara, o início de redução da Selic pelo Banco Central, o recente anúncio dos investimentos do PAC, a efetivação do Minha Casa Minha Vida, e a retomada da Estratégia Nacional do BIM (Building Information Modelling) que contribuem para uma perspectiva mais favorável ao crescimento e à expansão, fomentando expectativas positivas para o futuro da indústria”.

Sobre a ABRAMAT

Desde sua fundação, em abril de 2004, a ABRAMAT acompanha e contribui para o crescimento da Construção Civil no país, atuando como interlocutora do setor junto ao Governo e demais agentes da cadeia produtiva. A entidade conta atualmente com aproximadamente 400 unidades fabris de 50 empresas associadas, situadas em todas as regiões do país, que são líderes na produção de materiais de construção em diversos segmentos do setor. Entre os pilares de atuação da entidade estão a conformidade técnica e fiscal na produção e comercialização dos materiais, a competitividade e sustentabilidade da indústria, e a capacitação da mão-de-obra da construção. Para a elaboração de seus relatórios são utilizados dados oficiais disponíveis, pesquisas com associados, análise interna da equipe e metodologia FGV desenvolvida com exclusividade para a ABRAMAT.