Focando em sustentabilidade: projetos modulares são o futuro da construção

Focando em sustentabilidade: projetos modulares são o futuro da construção

A Maratona de Inovação da ArcelorMittal recebeu um painel especial sobre o futuro das construções uniu profissionais de diferentes áreas com propostas inovadoras. Com o tema central de “Cidades inteligentes: O futuro da construção em um mundo em um transformação”, os painelistas Anderson Melo, da Modularis Offsite Building, e Igor Macedo, da Tetro Arquitetura, mediados por Paula Couri, da ArcelorMittal, passaram um panorama de como devem ser as cidades do futuro e apostaram na construção modular.

Construções modulares referem-se a uma abordagem de design e construção que envolve a criação de componentes ou módulos independentes que podem ser montados ou combinados para formar um sistema maior ou um produto completo.

O objetivo das construções modulares é criar sistemas mais flexíveis, eficientes e facilmente adaptáveis, permitindo que os componentes sejam projetados, testados e produzidos separadamente antes de serem integrados em um sistema maior.

Construção modular se baseia em inovação e sustentabilidade

Na construção offsite o concreto é substituído por aço, a casa é montada em blocos criados dentro de uma fábrica e pode ser personalizada à medida do cliente, podendo escolher quantos cômodo e altura, por exemplo. Outro benefício do processo é a não utilização de água, geralmente utilizada para erguer construções tradicionais.

“Para quem não conhece, o modelo de construção offsite é um modelo de que a construção acontece inteiramente dentro de um ambiente fabril, numa indústria, seguindo os modelos e processos de fabricação da própria empresa”, diz Anderson Melo, da Modularis Offsite Building.

O método de construção modular foca na sustentabilidade, oferece uma maior previsibilidade no tempo de produção, gastos e acerto da obra. Ainda oferece pouca sobra de materiais, que são reutilizados em outros processos, por ser criada a partir de material volátil, tudo o que não pode ser reaproveitado, é reciclado.

Projetos criados pela construção modular focam mais do que apenas em sustentabilidade, também apresentam maior agilidade. Em média, os projetos levam de 30% a 40% menos tempo do que um empreendimento tradicional. Nos projetos criados pela Modularis, 4 profissionais da construção modular substituem o trabalho de 20 na construção convencional.

Casa Açucena, projeto modular criado dentro da Mata Atlântica

Como exemplo de projeto modular, Igor Macedo apresentou a Casa Açucena, moradia inserida na Mata Atlântica em Nova Lima, Minas Gerais. A casa foi projetada para se se adaptar à floresta e não o contrário, a construção da casa começou com o intuito de não modificar nada no ambiente, e assim chegaram ao resultado final.

“Nós buscamos inovar na arquitetura e acreditamos que podemos fazer isso sem agredir ou modificar a natureza para nos encaixarmos, nós sempre buscamos um jeito de coexistir. A gente não pode separar o humano da natureza”, completa Igor Macedo, da Tetro Arquitetura.

Por ser uma floresta muito densa, decidiram encaixar a casa sem modificar a natureza, optaram por fazer a casa suspensa a 7 metros de altura entre as árvores, para que não ocorresse terraplanagem ou alteração do solo, para não retirar árvores nem influenciar na vida animal. Para isso, o projeto contava com pilares modulares, quem muda é a casa, não as árvores. Igor brinca que quem teve mais dor de cabeça para criar a casa foi o engenheiro, que precisou recalcular o projeto da casa 7 vezes de um dia para o outro.

Igor ainda comenta que métodos inovadores foram criados para não só manter a biodiversidade, mas sim melhorar a fauna e flora no ambiente. Ele exemplifica ao comentar que toda água que cai na em cima da casa, passa por tubos e cai no solo, ou seja, continua a cair chuva normalmente no solo.

“Toda a vida que existia ali foi respeitada, desde as plantas que compunham o solo, as aranhas e nem os animais que ali viviam, ou seja, toda a vida foi respeitada. Nosso conceito não é destruir o lugar para construir e depois tentar fazer uma compensação daquilo, o próprio termo compensação já é errado, você tá mostrando que errou e vai fazer o mínimo para compensar aquilo”, finaliza.


https://startupi.com.br