construcao-inovadora-2024-rede-brasil-inovacao-esg-ia-ecossistema-startup-aldo-rosa-ceo-palestrante-cbic-sinduscon-anamaco-acomac-materiais-industria-crea-conferencia-lares-imobiliario
super-inovador-varejo-2024-rede-brasil-inovacao-esg-ia-ecossistema-hub-startup-aldo-rosa-ceo-palestrante-abras-supermercado-gs1-brasil-em-codigo-1d-2d-(16)
construcao-inovadora-2024-rede-brasil-inovacao-esg-ia-ecossistema-startup-aldo-cargnelutti-ceo-palestrante-cbic-sinduscon-anamaco-acomac-es-construcao-construa-minas-bh-2

Carrefour aposta em braço imobiliário e prevê entregar em 2025 novo prédio mais alto de SP

Carrefour aposta em braço imobiliário e prevê entregar em 2025 novo prédio mais alto de SP

Carrefour aposta em braço imobiliário e prevê entregar em 2025 novo prédio mais alto de SP

O Carrefour Property, divisão imobiliária do Grupo Carrefour, prevê concluir até o final de 2025 a construção do novo prédio mais alto da cidade de São Paulo. Batizado Paseo Alto das Nações, trata-se de um complexo multiuso, que incluirá shopping, teatro, parque, hipermercado, uma torre residencial, uma torre mista e um arranha-céu corporativo com 219 metros de altura. Atualmente, o prédio mais alto de São Paulo é o Platina 220, com 171,7 metros, localizado no Tatuapé, segundo ranking do Conselho de Edifícios Altos e Habitat Urbano (CTBUH, na sigla em inglês).

As obras estão em andamento e, por enquanto, a única torre finalizada é de uso misto, com 113,03 metros. São 7 pavimentos corporativos e 18 pavimentos residenciais com 161 unidades. Os apartamentos tem entre 40 m² e 237 m². No local já funciona um hipermercado Carrefour. O conjunto terá ainda uma terceira torre, totalmente residencial, com 133,96 metros de altura distribuídos em 38 pavimentos. Neste prédio, estarão 216 apartamentos. O mesmo terreno  de 5 mil m² abrigará também um teatro com espaço para plateia de 303 lugares, um parque aberto de 32 mil m² e uma praça loja com 8 salas comerciais. O valor geral de vendas estimado para o empreendimento imobiliário é de R$ 3 bilhões.

A construção do complexo em parceria com a incorporadora WTorre é a materialização de uma estratégia gestada desde 2013. “Ela tomou tração a partir da criação da unidade imobiliária autônoma para tocar esse negócio quando eu cheguei em 2021”, afirma a CEO do Carrefour Property, Liliane Dutra, em entrevista ao site IstoÉ Dinheiro.

O grupo de origem francesa possui uma tradição de comprar os imóveis onde constrói seus mercados e hipermercados. Segundo Dutra, cerca de 75% das lojas estão hoje alocadas em lote próprio. O Paseo Alto das Nações está sendo erguido na área onde, em 1975, o grupo inaugurou sua primeira loja no Brasil. Trata-se de um terreno de 65 metros quadrados na Marginal Pinheiros, na altura do bairro de Santo Amaro. O Carrefour que funciona hoje no local foi inaugurado em 2022. A estrutura do antigo supermercado foi demolida. É sobre a área da antiga unidade que está sendo erguido o novo arranha-céu.

Estratégia do Carrefour para negócios imobiliários

Em 2022, a companhia adquiriu a rede de mercados Big, que também tinha uma tradição de compras de propriedades. Assim, a empresa passou a contar com 440 imóveis próprios e mais de 18 milhões de metros quadrados em área de terreno. O projeto do Paseo Alto das Nações começou a ser desenvolvido em 2013, porém foi interrompido devido à crise com a incorporadora parceira – naquele momento, a Odebrecht, envolvida em escândalos de corrupção. Em 2021, Liliane Dutra assume como CEO da Carrefour Property com a missão de dar um novo rumo ao segmento imobiliário do grupo.

“O core business da companhia sempre vai ser varejo, atacarejo e atacado alimentar, mas o fato de ser proprietário te permite fazer uma densificação daquele lugar, melhorando também o potencial da venda da própria loja”, explica Dutra. A lógica é simples: grandes áreas que antes eram apenas estacionamento agora abrigarão moradias e empresas, com novos clientes possíveis para os mercados. “Meu interesse por trabalhar no grupo foi justamente para fazer essa transformação, ter esse olhar de desenvolvimento imobiliário e ressignificação urbana”, continua a CEO.

A estratégia visa ainda destravar valor em um grande patrimônio. O Paseo Alto das Nações é exemplar neste sentido: se em 1975 sua localização era uma área periférica, hoje se trata de bairro adensado e valorizado. “O futuro encontrou o passado, porque essa é a vocação que os terrenos do grupo possuem”, diz a CEO.

Outros projetos

Para além do prédio na Marginal Pinheiros, já foram anunciados outros dois empreendimentos no bairro de Interlagos, São Paulo, e em Vicente de Carvalho, no Rio de Janeiro, ambos em parceria com a incorporadora Riva e valor geral de vendas estimado em mais de R$600 milhões. A CEO afirma que há planos para mais 50 empreendimentos. “São projetos longos. A partir do momento que fecha o negócio, até aprovação legal e começar a construir são dois anos, até três dependendo da municipalidade”, explica. Nem todos os projetos serão multiuso. As duas novas unidades anunciadas, por exemplo, abrigarão apenas unidades residenciais e o hipermercado.

O nível dos apartamentos também varia. A unidade carioca, a título de ilustração, integra o programa Minha Casa, Minha Vida. Os imóveis terão valor de até R$ 350 mil e serão destinados a famílias com renda mensal de R$ 8 mil. Neste sentido, a CEO afirma que a alta dos juros não afeta os planos do Carrefour Property. “Falando especificamente do segmento residencial, com o mercado de trabalho estável, tem famílias e jovens que estão entrando no primeiro imóvel.” Outras novidades devem surgir em breve. “Tem mais uma negociação no Rio de Janeiro e outra em São Paulo que vamos divulgar em breve, temos um terreno em Curitiba que pode ser um novo Alto das Nações, tem projetos em Salvador, Brasília… São 50 mapeados.”